Veja como fica a divisão dos R$ 4,9 bilhões do Fundo Eleitoral entre os partidos políticos 

Política

Nesta semana, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou a portaria na qual detalha os valores que devem ser destinados a cada partido político em relação aos R$ 4,9 bilhões do fundo eleitoral. 

O partido que terá acesso à maior parcela do fundo eleitoral é o União Brasil (resultado da fusão do DEM com o PSL), com direito a R$ 782,5 milhões. 

Na sequência, aparecem, PT, MDB, PSD, PP, PSDB, PL, PSB, PDT e Republicanos. O Novo renunciou ao dinheiro e os recursos seguirão nos cofres públicos. 

De acordo com o TSE, o fundo eleitoral de 2022 prevê a maior destinação de recursos desde que foi criado, em 2017. 

O cálculo de divisão considera, em especial, o número de deputados federais e senadores que cada partido elegeu nas últimas Eleições Gerais, de 2018. Porém, mesmo os partidos sem representatividade no Congresso podem acessar o fundo, visto que 2% são divididos igualmente entre as 32 legendas. 

Os recursos ficam à disposição de cada partido somente depois de a legenda definir os critérios internos para a distribuição dos valores. 

O fundo eleitoral, tecnicamente chamado de Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), teve os valores detalhados, nessa quarta-feira (15), por meio da portaria nº 579/2022 do TSE. Nesta sexta, o material será publicado no Diário Oficial do Tribunal. 
 

Veja quanto cada partido político brasileiro receberá do fundo eleitoral: 

  • União Brasil: R$ 782,5 milhões 
  • PT: 503,4 milhões 
  • MDB: R$ 363,3 milhões 
  • PSD: R$ 349,9 milhões 
  • PP: R$ 344,8 milhões 
  • PSDB: R$ 320 milhões 
  • PL: R$ 288,5 milhões 
  • PSB: R$ 268,9 milhões 
  • PDT: R$ 253,4 milhões 
  • Republicanos: R$ 242,2 milhões 
  • Podemos: R$ 191,4 milhões 
  • PTB: R$ 114,5 milhões 
  • Solidariedade: R$ 113 milhões 
  • PSOL: R$ 100 milhões 
  • PROS: R$ 91,4 milhões 
  • Novo: R$ 90,1 milhões (o partido informou que vai devolver o dinheiro) 
  • Cidadania: R$ 87,9 milhões 
  • Patriota: R$ 86,5 milhões 
  • PSC: R$ 76,2 milhões 
  • PCdoB: R$ 76,1 milhões 
  • Rede: R$ 69,7 milhões 
  • Avante: R$ 69,2 milhões 
  • PV: R$ 50,6 milhões 
  • Agir: R$ 3,1 milhões 
  • DC: R$ 3,1 milhões 
  • PCB: R$ 3,1 milhões 
  • PCO: R$ 3,1 milhões 
  • PMB: R$ 3,1 milhões 
  • PMN: R$ 3,1 milhões 
  • PRTB: R$ 3,1 milhões 
  • PSTU: R$ 3,1 milhões 
  • UP: R$ 3,1 milhões 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.