VEREADOR EDUARDO NASCIMENTO QUESTIONA PREFEITO SOBRE OBRAS INACABADAS NO JARDIM PARAÍSO E AINDA DIZ QUE NA GESTÃO DE DANIEL É SEMPRE ASSIM, AS OBRAS NUNCA TEM FIM

Cidade Política Últimas Notícias

O vereador Eduardo Nascimento fez recentemente um requerimento à Prefeitura Municipal de Marília, em nome da comunidade do Jardim Paraíso.

De acordo com o vereador as obras de pavimentação asfáltica no Jardim Paraíso, localizado na zona Oeste da cidade, deveria beneficiar os moradores da região, porém acabou trazendo mais transtornos para que mora na área.

O vereador então requer da Prefeitura Municipal informações sobre o real motivo da paralisação da pavimentação asfáltica no Jardim Paraíso.

A obra foi anunciada em novembro de 2020 pela mídia oficial da Prefeitura de Marília, porém até hoje o empreendimento ainda não foi finalizado.

Foi amplamente divulgado pela Prefeitura que seriam asfaltados 5596 metros quadrados, além da construção de 1187 m de guias e sarjetas.

O vereador também pede informações de quando a obra será retomada e principalmente, quando é a previsão para sua finalização. Além disso ele requer o Plano de Trabalho de Obras com os nomes das respectivas ruas que seriam beneficiadas com o asfalto e ainda, a cópia do contrato com a empresa ‘Maripav Pavimentação e Construção’ para realização de tais serviços, para que possam ser analisados.

O vereador Eduardo Nascimento ainda ressaltou que, como tudo que acontece no governo de Daniel Alonso, o normal seria a obra ter início, meio, conclusão e fim, mas não se vê uma obra finalizada, e com esta obra não é diferente.

Ele ainda acredita que os recursos para esta obra sejam provenientes de um empréstimo feito pela Prefeitura através da Caixa Econômica Federal.

O vereador ainda disse que uma vez um amigo lhe disse que adoraria morar na propagando do governo do Prefeito Daniel Alonso, que é um paraíso, porém a realidade da cidade é bem diferente do “vende” o prefeito.

Ainda segundo o vereador a cidade está um caos em todos os setores, são obras inacabadas, servidores descontentes, enfim, problemas por todos os lados, e isso acaba sobrando para a população, para os vereadores que são cobrados, porque o prefeito é ausente.

De acordo com a lei orgânica do município o prefeito tem 15 dias revogáveis por mais 15 dias para responder, porém o prefeito fez um decreto incumbindo aos secretários que respondem. Porém o vereador lembrou que uma lei é superior à um decreto, então que não adianta o prefeito se eximir de culpa, que não irá adiantar. O vereador ainda colocou que o povo votou em Daniel Alonso, e não em seus secretários, então cabe a ele a responsabilidade.