COLECIONADOR DE ARMAS QUE TROCOU TIROS COM A POLÍCIA MILITAR EM MARÍLIA TEM PEDIDO DE LIBERDADE NEGADO

Cidade Polícia Últimas Notícias

Nesta terça-feira (15) a Justiça de Marília negou um novo pedido de liberdade feito pela defesa do empresário Francis Vinícius Bez Angonese, de 31 anos, acusado de trocar tiros com a Polícia Militar e ferir dois policiais, na madrugada de 30 de setembro de 2021.

O juiz Fabiano da Silva Moreno entendeu que a defesa não levou aos autos argumentos que mudassem o posicionamento sobre a prisão preventiva, que foi mantida. Este foi o terceiro pedido de liberdade feito pela defesa do empresário.

Após a realização da primeira audiência do caso, que aconteceu no último dia 3 de fevereiro, o juiz pediu cobrou urgência do laudo realizado no réu para atestar seu grau de sanidade mental, mas até o momento o laudo não foi divulgado.

Foram ouvidas seis testemunhas e o réu na audiência. Francis Angonese responde por dupla tentativa de homicídio qualificada, com agravantes que podem ampliar a pena: tentativa de ocultar o primeiro crime (disparos de arma de fogo na casa) e crime contra a autoridade policial.

Caso condenado, Francis pode ter pena de até 40 anos de reclusão em regime fechado. Francis chegou a ficar internado no Hospital das Clínicas de Marília sob escolta policial e após a alta médica foi transferido para o CDP de Álvaro de Carvalho.

De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público, Francis efetuou disparos para o alto com uma espingarda calibre 12 e uma de suas pistolas. Ele estaria irritado por uma discussão anterior que teria tido com o vigilante, que atua na rua de sua residência.

Após ingerir bebida alcoólica, Francis passou a efetuar disparos inicialmente no jardim e posteriormente no quintal , enquanto gritava “hoje eu mato ou eu morro”.

A Polícia Militar foi então acionada por vizinhos e, ao chegar ao endereço, a equipe acionou a campainha da residência e o empresário foi até a garagem armado e efetuou disparos com a espingarda calibre 12 em direção à via pública.

A equipe da Polícia Militar se abrigou atrás de um poste para tentar a negociação, mas nesse Francis começou a atirar. Após intensa troca de tiros, um policial foi atingido na perna, causando fratura óssea e outro policial foi atingido por três disparos, no pé, quadril, ombro e braço, e passou por cirurgia para retirada dos projéteis.