ACUSADO DE MATAR A ENTEADA DE 2 ANOS NO CDHU TEM JULGAMENTO NESTA QUINTA-FEIRA

Cidade Polícia Últimas Notícias

Acontecerá nesta quinta-feira (3) o julgamento do vigilante Israel Luís Vieira, ele é acusado de ter causado lesões que resultaram na morte de sua enteada, Isabelle Fernandes dos Santos, de 2 anos. O crime aconteceu em setembro de 2017. A menina residia no conjunto de apartamento da CDHU, na zona Sul.

De acordo com a denúncia do Ministério Público (MP), no dia 23 de setembro de 2017, a menina teria sido socorrida no Hospital Materno Infantil (HMI) sob alegação do padrasto que a criança havia ingerido medicação para vômito e ao se levantar da cama teria sofrido uma queda.

Ao ser examinada, a equipe médica constatou que a menina apresentava fratura no braço, hematomas e arranhões pelo corpo.

“Fomos acionados pelo hospital, pois os médicos afirmaram que os ferimentos da criança não eram compatíveis com uma simples queda da cama. Antes disso, não houve histórico de atendimento a essa família”, disse a época a conselheira tutelar, Rosemeire Moreno Leal de Oliveira.

A criança também sofreu convulsões e foi internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Materno Infantil, ficando internada por quatro dias, quando teve morte cerebral constatada e a família autorizou a doação de órgãos.

De acordo com o laudo feito pelo Instituto Médico Legal (IML), ao chacoalhar a menina, o autônomo teria causado micro lesões cerebrais, que resultaram na morte da criança.

“Os médicos chamam de shaken baby. A criança nessa idade ainda não tem a formação completa do cérebro e o chacoalhar causou as lesões cerebrais. Ele confessou que fez o movimento, mas por estar desesperado devido a menina estar convulsionando”, disse a época o delegado Bolívar dos Santos Junior.

O padrasto foi indiciado pelo crime de homicídio duplamente qualificado e ele pode pegar uma pena de até 30 anos de prisão em regime fechado.