POLÍCIA PRENDE QUADRILHA QUE EXECUTAVA FRAUDES BANCÁRIAS E MOVIMENTOU CERCA DE 13 MILHÕES SÓ NOS ÚLTIMOS MESES

Brasil Polícia Últimas Notícias

Os agentes do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil de Pernambuco invadiram um resort de luxo as 6 horas da manhã na última quinta-feira (4).

Eles prenderam um homem acusado de fraudes financeiras, estelionato, falsidade ideológica e formação de quadrilha.

Max William Gonçalves Campos, o Mineiro, não tinha um emprego oficial, mas guardava quase um milhão de reais em sua conta bancária.

No mesmo dia, outros membros da quadrilha também foram presos durante a Operação Veritas.

Foi mais de um ano de investigações. A quadrilha envolvia gerentes de bancos, dois Policiais Militares, um Policial Civil e muita tecnologia em uma estrutura sofisticada de fraude.

Quem comandava a operação era Eduardo da Costa Pereira, conhecido como Frango ou Edu Miami. O esquema funcionava da seguinte forma: um sargento e um capitão da Polícia Militar acessavam o sistema e identificavam possíveis vítimas para os golpes. E um Policial Civil, buscava dados de pessoas mortas. Os três repassavam as informações para Eduardo. Depois, a quadrilha acionava seus integrantes dentro dos bancos: gerentes que participavam do esquema. Os criminosos usavam cartões de crédito clonados e cheques com assinaturas idênticas às originais.

Eles vão responder por organização criminosa, lavagem de dinheiro e estelionato, entre outros crimes.

Na investigação que levou à prisão de Eduardo esta semana, o que mais surpreendeu a polícia foi o uso de informações extraídas de bancos de dados da própria polícia.

A Federação Brasileira de Bancos, a Febraban, em nota, disse que as instituições estão comprometidas com o aprimoramento constante dos sistemas de segurança das instituições, para garantir a eficiência das operações financeiras cotidianas de milhões de brasileiros. E que os bancos atuam em parceria com forças policiais para auxiliar na identificação e punição de criminosos.