Dia Mundial do Veganismo: mate todas as suas curiosidades sobre o assunto

Brasil Últimas Notícias

Data comemora, em todo o mundo, a conscientização vegana, um protesto contra o consumo de produtos de origem animal

No dia 1º de novembro é celebrado o Dia Mundial do Veganismo ou Dia Mundial Vegano (World Vegan Day, em inglês).

A data comemora, em todo o mundo, a conscientização vegana, um protesto contra o consumo de produtos de origem animal. Pessoas veganas não aconselham a ingestão de laticínios, ovos ou alimentos de origem animal, assim como os vegetarianos.

Por falar em vegetarianismo, você sabe a diferença entre vegano e vegetariano? Não? Sabemos que esse assunto é bem confuso e delicado, por isso nós do Portal JP Jornal O Popular vamos esclarecer todas suas dúvidas sobre o assunto.

Diferença entre veganismo e vegetarianismo

Veganismo: diz respeito a um estilo de vida que evita e proíbe tudo o que cause algum dano aos animais. Isso inclui alimentação, cosméticos, roupas, produtos de higiene, remédios, entre outros. Além dessa atitude, os veganos também lutam contra a exploração animal, seja em rodeios, zoológico, circo e caça.

Vegetarianismo: exclui todos os tipos de carne (isso inclui carne vermelha, peixes e aves) da alimentação. O vegetarianismo pode ser classificado da seguinte forma:

Ovolactovegetarianismo: se alimenta de ovos, leite e laticínios.

Lactovegetarianismo: se alimenta de leite e laticínios.

Ovovegetarianismo: se alimenta apenas de ovos na sua alimentação.

Vegetarianismo estrito: não se alimenta de nenhum produto de origem animal. Logo, vegetarianismo estrito e veganismo são sinônimos quando se trata do âmbito da alimentação.

O que vegetarianos e veganos defendem?

Os vegetarianos se opõem a matar animais para alimentação, mas consideram aceitável o consumo de subprodutos de origem animal, como leite e ovos. Por outro lado, os veganos acreditam que os animais têm o direito de estar livres do uso humano, seja para alimentos, roupas, ciência ou entretenimento.

Como surgiu o Dia Mundial do Veganismo?

A data comemorativa foi criada em 1994 pelo presidente da Vegan Society, Louise Wallis, em comemoração aos 50 anos da fundação Sociedade Vegana do Reino Unido.

Benefícios do regime vegano

O veganismo defende que todos os animais têm direito à vida e que existem outros métodos mais saudáveis de se alimentar e de se vestir, sem causar sofrimento animal.

Manter uma alimentação vegana também traz benefícios à saúde. Trata-se de uma alimentação pobre em gordura e rica em vitaminas, fibras e minerais. Pesquisas mostram que a alimentação sem produtos de origem animal auxilia no tratamento e prevenção de diversas doenças como obesidade, hipertensão, câncer e doenças cardiovasculares.

Benefícios do regime vegetariano

Por ser rica em fibras, grãos, frutas e legumes a alimentação vegetariana traz vantagens para seus adeptos, Além do propósito geral de reduzir a poluição ambiental, ela ajuda no controle do peso, favorece o trânsito intestinal e contribui para a prevenção de doenças cardiovasculares.

Quais os perigos da alimentação vegana?

Diferente dos vegetarianos, que não comem nenhum tipo de carne ou peixe, mas consomem ovos e laticínios, os veganos abstêm-se de qualquer alimento de origem animal, inclusive mel.

Em dietas à base de legumes e vegetais, várias vitaminas essenciais podem fazer falta por inexistência no organismo ou pouca quantidade. Isso inclui proteínas animais com seus nutrientes específicos, como ômega-3 e ácidos graxos, ferro, zinco, cálcio e vitaminas D e B12.

A B12, por exemplo, está relacionada com a formação dos neurônios e tem importante atuação no sangue e no metabolismo, mas ela só chega por meio das carnes, peixes, manteiga, alimentos que veganos não aceitam. Por esse motivo pessoas veganas precisam de acompanhamento nutricional e reposição de alguns componentes por meio de vitaminas sintéticas.

Lista de produtos que podem substituir os de origem animal nas refeições:

– Leites vegetais

– Pó de agar-agar (um tipo de alga que substitui a gelatina)

– PST e embutidos de soja

– Cogumelos

– Jaca verde

– Sementes de chia e linhaça

– Amendoim, paçoca e creme de amendoim

– Seitan (substitui a carne e é feito de glúten, a proteína do trigo´)

– Castanhas

– Maple syrup (xarope extraído das árvores de bordo, típicas do Canadá)

– Tofu

– Ervilha, lentilha, grão de bico e outros grãos

– Aveia

– Coco e derivados

– Trigo para quibe

– Quinua

– Cereais integrais

– Amaranto

– Gergelim

Como ser vegano?

1. Entender os benefícios de se tornar vegano

O primeiro passo é entender qual é sua motivação. Ajudar o meio ambiente? Empatia pelos animais? Estilo de vida mais saudável? 

2. Saber se você pode adotar o regime

De acordo com nutricionistas idosos acima de 70 anos, mães em período de amamentação, pessoas com restrições alimentares ou portadoras de doenças graves, adotar uma dieta sem carne e seus derivados não é indicado.

3. Consulte um nutricionista

Consultar uma nutricionista especialista é essencial na fase de transição, além de facilitar o processo, pode evitar pode evitar problemas de adaptação como a baixa ingestão de micronutrientes como Vitamina A, E, D, K, complexo B, entre outras que quando em falta no organismo, ocasionam na queda de cabelo, sangramento da gengiva, baixa força muscular, baixa imunidade e em alguns casos até mesmo depressão.

4. Faça exames

É importante fazer exames como um hemograma completo, ferro, ferritina, vitamina D e B12 antes de começar uma dieta vegana para ter certeza de que você não terá problemas na fase de transição.

5. Disposição a mudança

Para ingressar na vida vegana você tem que estar disposto a mudar, ler rótulos e prestar atenção em tudo o que consome, seja alimentação, roupas ou produtos. Além de se dispor a dedicar um pouco mais de tempo na cozinha para produzir a alimentação correta. E principalmente estar disposto a experimentar novos sabores, pois mesmo que exista diversas substituições para alimentos de origem animal (alguns que até imitam o gosto do original), o sabor nunca será o mesmo.

6. Desmistifique o veganismo

Há quem diga que uma dieta vegana sai muito mais cara do que uma alimentação comum, mas de acordo com especialistas isso varia muito de pessoa para pessoa, de acordo com a variabilidade de cada um e a condição financeira. Sendo assim não é necessário se preocupar com a questão de valores, foco na causa!

7. Calma no processo

A mudança não irá acontecer do dia para a noite, é um processo, rápido para alguns e lento para outros. Comece devagar, tire a carne de alguns dias da semana, experimente sabores e pratos novos.