ENERGIA ELÉTRICA SOBE AINDA MAIS EM JUNHO E CONSUMIDOR SENTE NO BOLSO

Brasil Últimas Notícias

A energia elétrica foi o item que mais subiu de preço no último ano e a tendência é piorar.

Em maio passou a vigorar a bandeira tarifária vermelha patamar 1, que acrescenta R$4,169 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos no mês. Neste mês de junho a tarifa passou a considerar o patamar 2, que acrescenta R$6,243 na conta para cada 100 kWh.

A crise hídrica que afeta os reservatórios das usinas hidrelétricas é a grande culpada pelo aumento de preço da energia elétrica.

O país enfrenta a pior estiagem dos últimos 91 anos. Com a queda nos níveis dos reservatórios a oferta de energia é compensada pelas usinas termoelétricas, provocando o aumento do custo.

De acordo com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), o acionamento das usinas termoelétricas vai custar aos consumidores 9 milhões de reais. O país tem um sistema de aumento da cobrança que se move de acordo com a condição dos reservatórios. Essas divisões foram chamadas de bandeiras tarifárias.

São elas:

  • Bandeira verde: não gera cobrança extra no consumo de energia.
  • Bandeira amarela: gera tarifa extra de R$ 1,343 para cada 100 kWh consumidos no mês.
  • Bandeira vermelha, patamar 1: a cobrança extra é de R$ 4,169 a cada 100 kWh.
  • Bandeira vermelha, patamar 2: adicional sobe para R$ 6,243 na conta para cada 100 kWh.

O período de seca intensa provavelmente seja consequência do desmatamento da Amazônia, do aquecimento global causado pela queima de combustíveis fósseis e do fenômeno natural La Ninã.

Os próximos meses são de estiagem, o que significa que os níveis dos reservatórios ainda devem baixar.