Durante governo de Jair Bolsonaro, Petrobras terá 4 presidentes  

Política

Nesta segunda-feira (20), José Mauro Coelho, presidente da Petrobras, pediu demissão, tendo pouco mais de dois meses à frente do cargo. Ele será substituído interinamente por Fernando Borges, conforme definiu o Conselho de Administração da empresa 

Coelho é o terceiro presidente indicado pelo governo de Jair Bolsonaro. O militar Joaquim Silva e Luna presidiu a estatal antes de Coelho durante o período que se iniciou em abril de 2021 e se estendeu até março deste ano. Antes dele, o economista Roberto Castello Branco havia sido nomeado para o cargo em janeiro de 2019 e demitido em fevereiro de 2021 por Bolsonaro. 

O Preço de Paridade de Importação (PPI) foi o maior problema que enfrentaram os três ex-presidentes da estatal. Adotado ainda no governo Temer, a métrica para definir o preço da gasolina e diesel nas refinarias é orientada pelas flutuações do preço do barril de petróleo no mercado internacional e pelo câmbio. 

Apesar de auxiliarem o caixa da empresa, os seguidos reajustes derivados da metodologia foram o motivo para a demissão de José Mauro Coelho, Joaquim Silva e Luna e Roberto Castello Branco.  

O mais cotado para substituir José Mauro Coelho deve ser Caio Paes de Andrade, secretário de Desburocratização do Ministério da Economia. Ele foi indicado ao cargo pelo governo há um mês, mas a troca esbarrou nos trâmites legais definidos para a substituição. 

O secretário tem formação em comunicação social pela Universidade Paulista, pós-graduação em administração e gestão pela Universidade de Harvard e é mestre em administração de empresas pela Universidade Duke, nos Estados Unidos. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.