SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL ABRE INQUÉRITO CONTRA BOLSONÁRIO PARA INVESTIGAR SE ELE COMETEU CRIME AO ASSOCIAR A VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 COM O DESENVOLVIMENTO DE AIDS

Brasil Política Últimas Notícias

Nesta quarta-feira (02) foi comunicada ao Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, a decisão da delegada Lorena Lima Nascimento, de instaurar inquérito contra o Presidente Jair Bolsonaro, para investigar se ele cometeu crime ao associar a vacinação contra Covid-19 e o suposto desenvolvimento de AIDS.

Alexandre Moraes já havia determinado a abertura do inquérito criminal contra Bolsonaro pelo episódio ocorrido em outubro do ano passado, após ter sido provocado pelo ex-presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM).

Jair Bolsonaro, teria dito através de suas redes sociais, que relatórios do governo do Reino Unido teriam mostrado que pessoas totalmente vacinadas contra Covid teriam desenvolvido Aids.

A Polícia Federal vai investigar se Bolsonaro cometeu os crimes de epidemia, de infração de medida sanitária preventiva e de incitação ao crime.

Entre as diligências, a delegada da PF pediu para que seja transcrito o inteiro teor das declarações ao vivo de Bolsonaro, sejam identificados os sites que serviram de base para as informações replicadas pelo presidente e sejam realizadas pesquisas sobre a confiabilidade dos sites usados por ele, a fim de verificar se são verdadeiras ou fake news.

Em dezembro, o procurador-geral da República, Augusto Aras, recorreu da decisão de Moraes de abrir o inquérito.

Aras já havia realizado uma investigação interna na PGR sobre o caso. Entretanto, Moraes determinou depois o trancamento dessa apuração e ordenado que o procurador-geral remetesse informações dessa apuração ao Supremo, onde a investigação ficaria subordinada.