BOLSONARO ANUNCIA QUE CAMINHONEIROS RECEBERÃO AUXÍLIO DE R$ 400

Brasil Política Últimas Notícias

Nesta quinta-feira (21) através de uma transmissão ao vivo por rede social, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que o auxílio para os caminhoneiros já anunciado por ele será de R$ 400 mensais e contemplará 750 mil caminhoneiros.

O auxílio vem em razão da alta do diesel. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo o menor preço médio do litro do diesel é R$ 4,823 (Rio Grande do Sul) e o maior R$ 6,208 (Acre).

Bolsonaro fez primeiramente um anúncio em Pernambuco, durante a tarde, chamando de “Auxílio diesel”, porém não tinha dito o valor, quando o benefício começa a ser pago, nem de onde tirará os recursos para o benefício.

À noite, durante a “live” informou que o auxílio somará R$ 3.6 bilhões ao longo do ano.

“Deve ter outro aumento de combustível? Deve ter outro aumento de combustível. Não precisa ser mágico para descobrir isso aí. É só ver o preço do petróleo lá fora quanto tá o dólar aqui dentro. Então, começa a aumentar. Nós ainda dependemos de importação de diesel, em especial, em torno de 25%, e de gasolina também. Então, se não reajustar, falta. Então, a inflação é horrível? É péssima. Mas pior é o desabastecimento”, declarou.

E complementou:

“Então, o que nós aqui — como está na iminência de um novo reajuste de combustível —, o que buscamos fazer, acertado com a equipe econômica? Alguns não querem, da equipe econômica, não queriam. Outros acharam que era possível dar um auxílio para os caminhoneiros, em havendo um novo reajuste, dar um auxílio para os caminhoneiros. O que está decidido até o momento? R$ 400. R$ 400 para 750 mil caminhoneiros autônomos. Isso é muito, isso é pouco? É o possível no momento. Isso dá um pouco mais de R$ 3 bilhões ao longo de um ano, um pouco mais de R$ 3 bilhões ao longo de um ano. Dentro do orçamento. Agora tem secretário — como acontece às vezes ser um ministro — que quer fazer valer sua vontade. Então, o ministro deu uma decisão: vamos gastar dentro do teto porque as reformas continuam”, afirmou.

Nesta quinta-feira, após manobras para “furar” o teto de gastos do governo para garantir os recursos para o pagamento de R$ 400 do Auxílio Brasil, quatro secretários do Ministro da Economia pediram demissão.

Na “live”, Bolsonaro também falou sobre o Auxílio Brasil e criticou o mercado, que teve grande queda após as tais manobras. “O auxílio de R$ 400, abaixo de R$ 4 bi por ano dentro do orçamento. Daí fica o mercado nervosinho. Se vocês explodirem a economia do Brasil, pessoal do mercado, vocês vão ser prejudicados também”, disse.